quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Visconde de Mauá - RJ

Oi Pessoal!
Estava muito tempo sem aparecer, mas agora venho postar uma viagem curta e super legal que acabei de fazer.

Para os amantes da natureza e que querem relaxar, se desligar do mundo e curtir cachoeiras e trilhas, recomendo a região de Visconde de Mauá e os arredores Maringá (RJ e MG) e Maromba.

Reservei uma pousada super gostosa que fica em Maromba (cerca de 8 km de Visconde de Mauá). Ficamos na Pousada da Gruta. É uma pousada familiar, deliciosa, com excelente estrutura e atendimento. Os donos e funcionários são muito atenciosos, os quartos e chalés são limpos e aconchegantes.

Nosso chalé

Vários chalés

 Chegamos na sexta a noite e aproveitamos para ir até o centro de Visconde de Mauá para jantar. Decidimos comer um rodízio de fondue no restaurante Marioca Bistrô. Muito agradável, a luz de velas e romântico. Este restaurante fica na região de Maringá RJ. Atravessando a ponte ao lado do restaurante você chega em Maringá MG. Tudo muito pertinho. Em Maringá MG tem várias opções de restaurantes.

Após o jantar, voltamos a pousada. Como estava bem friozinho, acendemos a lareira para aquecer o quarto. Que delícia!

No dia seguinte, tomamos café da manhã, bem farto e aproveitamos para conhecer a cachoeira que fica dentro da pousada, abaixo do local que serve o café da manhã. Que lindo lugar! A estrutura tem 2 pequenas pontes, bancos para descanso e o visual lindo da cachoeira. Adorei!!




Depois da cachoeira, ainda dentro da propriedade, há uma trilha - a Trilha do Mirante - onde a caminhada que leva cerca de 40 minutos nos leva até o mirante. No caminho desfrutamos do visual, dos pássaros que aparecem a todo momento com seus diferentes cantos, e no meio do caminho há ainda uma bica de água potável deliciosa. No mirante tiramos muitas fotos e aproveitamos o visual.

Visual na trilha do mirante


Topo do mirante com pé de tangerina

Foto panorâmica do mirante

Voltando do mirante, nos arrumamos para seguir para nosso almoço. Fizemos uma reserva no Babel Restaurante que fica no Vale do Pavão - após a entrada seguir por 4 km em estrada de terra e acesso tranquilo. Fica no Parque Estadual da Pedra Selada.

Nossa reserva estava agendada para as 13hs e chegamos as 12hs. Estava fechado. Então decidimos seguir mais 2 km para conhecer o Poço do Marimbondo. Neste trecho a estrada de terra é pior com alguns buracos e pedras, mas conseguimos chegar até o ponto da trilha que dá acesso ao poço.

No caminho paramos no Mirante do Pavão para admirar o visual e tirar mais algumas fotos.

Vista do Mirante do Pavão

"O Parque Estadual da Pedra Selada (PEPS) foi criado em 2012 com uma área de 8.036 hectares de Mata Atlântica, um dos biomas mais ameaçados do planeta. Está localizado na Serra da Mantiqueira e abrange parte dos municípios de Resende (78,4%) e Itatiaia (21,6%). O PEPS possui diversos atrativos, incluindo rios límpidos, caminhadas e escaladas.
O rio Marimbondo nasce nos campos de altitude do Parque Nacional de Itatiaia e marca a divisa entre Resende e Itatiaia, juntando-se ao rio Preto próximo a Vila de Visconde de Mauá."

Para chegar ao Poço do Marimbondo é necessário seguir a pé por uma trilha. Esta trilha dura cerca de 20 minutos e tem muita descida. Acesso tranquilo, mas na volta a subida é bem cansativa.

Molhando o pé no poço do marimbondo

Poço do Marimbondo

Voltando ao Restaurante Babel: o restaurante foi estruturado em um sítio, na casa dos chefs André e Dani, com produtos frescos e da estação. O local é encantador! Tem um visual lindo!
*É necessário reserva, só aceita dinheiro ou cheque e tem rede Wifi disponível. Funciona de 13hs as 22hs.

Babel Restaurante

O dia era de muita comemoração e o lugar é maravilhoso para isso. Tive a oportunidade de conhecer o chef André, muito atencioso e simpático!

Brindamos com um vinho rosé geladinho - Rosé D' Anjou - e delicioso! Pedimos 2 pratos deliciosos e no final um mix de sobremesas.

Entrada: Iscas de truta salmonada em crosta de gergelim com caramelo balsâmico

Truta salmonada ao molho de pimenta com purê de batata baroa
e maracujá e crisp de abobrinha

Costeleta de leitoa caipira acompanhado de risoto
de gorgonzola e crisp de abobrinha

Mix de sobremesesas da chef Dani: tiramisu, trufa de chocolate com damasco,
mousse de chocolate branco com maracujá e creme bruleé com calda de laranja

Tudo maravilhoso!! Recomendo muito!!

Após o almoço, seguimos para a Cachoeira Véu da Noiva.
O local é de fácil acesso, mas sem estacionamento. A caminhada até a cachoeira leva 5 minutos. Pequena e muito bonita.




Seguindo nossa visitação pelas cachoeiras da região, fomos até a Cachoeira do Escorrega que fica na Vila da Maromba, próximo a nossa pousada.

Esta cachoeira é mais popular e super tranquila para chegar. Tem vários estacionamentos e bares próximos a cachoeira.

"A cachoeira do Escorrega é o cartão postal de Visconde de Mauá , ela fica 3 km acima da vila da Maromba . Tem fácil acesso , para quem está hospedado nos arredores da Maromba , dá para ir na caminhada e é um programa quase obrigatório para quem vai a Visconde de Mauá."



P.S.: Em todas as cachoeiras só tive coragem de molhar o pé, pois estava gélida!! O clima nesta época ainda é frio para enfrentar a água muito gelada das cachoeiras.

Voltamos a pousada para descansar e curtir uma hidromassagem com vista para a montanha! Que delícia! Só o barulho dos pássaros até o silenciar da noite.

A noite, fomos andar pela vila de Visconde de Mauá. Compramos alguns produtos locais como queijos, doces, licores e cachaças. Que delícia!!

Jantamos na pizzaria Zorba Budda Zen. Pizza a lenha, muito fina e crocante. Vale a pena!

No dia seguinte, café da manhã e hora de partir.

Final de semana delicioso e com gostinho de quero mais! Ainda tenho muito mais para conhecer nesta região.


sexta-feira, 29 de maio de 2015

Chile

Olá pessoal!

Estive muita sumida, mas foram as férias que demoraram para chegar. Após longos 9 meses, finalmente o descanso merecido e pronta para colocar o pé na estrada!

O destino escolhido desta vez foi o Chile. O roteiro contemplou Santiago do Chile, rota de vinhos na região de Colchagua (Sul de Santiago) e passagem por Val Paraíso e Viña del Mar.
Viagem curta, rápida, porém encantadora, pois o interior do Chile é lindo!

Chegamos a Santiago em uma segunda-feira tranquila e fria. Fomos diretamente para a casa de minha amiga Jocelyn.
*Esta é uma amiga que conheci no trabalho e que voltou a terra natal em Setembro de 2014. Foi ótimo 'matar' as saudades!

Jocelyn reside no bairro de Las Condes e nos levou ao shopping ao lado da casa dela para almoçarmos. Comemos uma massinha acompanhada de um delicioso Pisco Sour (bebida típica do Chile).




Após o almoço, seguimos para o nosso hotel.

Ficamos hospedados em um Apart Hotel chamado Cambiaso que fica na rua Pedro de Valdivia em Providencia. Muito bem localizado e junto a estação de metrô!!! Por ser Apart Hotel, não tinha café da manhã e a recepção só funcionava em horário comercial. O quarto era padrão, nada extraordinário e tinha arrumadeira todos os dias. Valeu o custo x benefício!
*P.S: Os hotéis no Chile só aceitam pagamento em dólar. Há muitas opções no site do Booking.com.

Providencia é um excelente bairro. Central e agitado tanto de dia quanto a noite. Repleto de bares, restaurantes, mercados, agências bancárias e casas de cambio. 

Como já era quase 5 da tarde, tomamos um banho, nos arrumamos e seguimos para nosso primeiro ponto turístico: Cerro Santa Lucia.

Cerro Santa Lucia
Perto do trânsito intenso e do movimento de pessoas nas ruas, está o Cerro Santa Lucía, um verdadeiro refúgio verde de paz e tranquilidade no meio de Santiago. O parque, que tem monumentos e jardins, é ideal para caminhar e subir até o topo, aproveitando a fantástica vista da Cordilheira nos dias limpos. A parte superior do local é muito bonita, agradável para sentar e descansar, e interessante porque oferece uma vista panorâmica da capital. O menor dos dois cerros da cidade está localizado bem no centro de Santiago e durante a subida a pé encontramos praças, fontes e até um “castelo” pelo caminho. No alto dos 69 metros de altura é possível se ter uma vista bacana do centro da cidade.

Abaixo, algumas fotos tiradas no cerro.



Vista da cidade


Ao anoitecer, seguimos para o Patio Bellavista. No Patio Bellavista encontramos vários restaurantes para desfrutar de um happy hour ou jantar. Ambiente descontraído e gostoso!

Escolhemos o restaurante Backstage Life. Dentro do restaurante tinha uma banda tocando, mas escolhemos sentar na varanda. Estava muito agradável!



Comemos uma pizza com mais um delicioso Pisco Sour. :-))



Neste dia caminhamos bastante, pois queríamos conhecer os arredores e nos ambientarmos a cidade. Foi ótimo!

Na manhã seguinte, acordamos bem cedo, pegamos nossa pequena mala e seguimos para buscar nosso carro na locadora.
*A manhã estava tão fria que senti minha mão quase congelar... Antes de chegarmos na locadora, resolvi parar em uma Starbucks para tomar um café da manhã e ao entrar no ambiente aquecido, minha mão começou a doer! Foi uma sensação muito estranha e dolorosa!!

Hoje o roteiro nos levaria a rota de vinhos de Colchagua, direção ao Sul de Santiago.
*Dica: faça a reserva do carro com GPS. Reservei o carro sem GPS e no momento da retirada do veículo a locadora não tinha nenhum GPS disponível. Outra opção: comprar um chip com dados. Assim poderá acessar Google Maps ou Waze. Como não fiz nenhuma das duas coisas: fui na cara e na coragem seguindo placas.

Peguei algumas indicações de rota com os funcionários da locadora para conseguirmos pegar a rodovia correta, porém me perdi! Pegamos a rota ao Norte e demoramos 1 hora a mais para chegarmos em nossa primeira vinícola - Viña Casa & Silva.



O tour na vinícola Casa & Silva estava agendado para as 11:30hs, porém chegamos as 12:30hs. Perdemos o tour! Como os tours acontecem de hora em hora, pensei em fazermos o tour no horário seguinte, mas só havia disponibilidade para as 16hs. Uma pena, pois tínhamos outro tour agendado as 16hs em outra vinícola e por isso não pudemos visitar.

Peguei o carro e andei entre os parreirais - lotados de uva - até o campo de pólo. Lindo demais!

Viña Casa &Silva


Campo de Pólo

**Colhemos um cacho de uva.... ;-)



Ainda parada no estacionamento da vinícola, conheci um guia, contratado por um casal, que iria fazer o mesmo caminho que nós para próxima vinícola. Estava tão cansada de me perder, que perguntei a ele se poderíamos segui-lo e ele aceitou. Ufa! O almoço estava garantido...(risos)

Andamos mais alguns quilômetros e chegamos na segunda vinícola: Viña Viu Manent.


Entrada da vinícola




Nesta vinícola, o meu plano era apenas almoçar, nada de tour. Chegamos no restaurante Rayuela.

*Li sobre este restaurante em um blog e valeu a pena! Comida gostosa e atendimento excelente!




Belo Gran Reserva Carmenere

Um brinde ao delicioso momento

Costela de porco com purê picante e legumes cozidos

Chorizo com legumes cozidos

Lugar delicioso!! Almoçamos com a linda vista de um pasto bem cuidado e tranquilo! Recomendo!!

Após o almoço, compramos algumas garrafas de Carmenere na lojinha da viña.

Seguimos viagem para nossa última vinícola: Vinã Santa Cruz.

Para nossa surpresa, no meio do caminho, avistamos nosso hotel - Hotel Terra Viña. Decidimos parar no hotel para pedir informação, pois nesta hora não podíamos nos perder mais....(risos)

A recepcionista muito educada, nos deu um mapa simples e, com isso, faltando apenas 15 minutos para o tour e cerca de 22km até a vinícola, chegamos com apenas 5 minutos de atraso. Ufa!! Meta cumprida!!


Entrada da vinícola
 As fotos desta viña ficaram lindas e a paisagem nos encheu os olhos. As parreiras de diversas cores e carregadas de uvas...


O tour havia começado, mas o grupo ainda estava na primeira etapa. Rapidamente nos juntamos a eles.
Entendemos o processo de fabricação e armazenamento. Os diferentes tipos de barricas onde os vinhos ficam envelhecendo. Degustamos 3 tipos de vinho.



Após a degustação, subimos de teleférico até o ponto onde há uma exposição sobre a cultura indígena e a origem do nome do vinho produzido na viña.

Teleférico
Origem do nome do vinho Chamán

Na saída, colhemos mais um cacho de uva e fomos degustando no carro até chegar ao hotel.

OBS.: Nesta vinícola há o Museu do Automóvel, mas não visitamos.




Chegando no Hotel Terra Viña, banho e relax total!! Que delícia!

A recepcionista da noite era brasileira, chamava-se Mabel. Muito atenciosa e simpática! Ela disse que foi contratada justamente pela alta demanda de brasileiros no hotel. Comentei com ela que a indicação do hotel tinha sido de um blog de viagens. Ela ficou curiosa, mas como leio tantos, não me lembrei qual blog tinha me dado a indicação.

A noite, sob um frio de 5°C, nos arrumamos e fomos jantar em um restaurante bem gostoso que ficava próximo ao hotel. O restaurante chama-se Etiqueta Negra.
Aconchegante, intimista, exclusivo - do jeito que eu gosto! :-)
Sabe aquela sensação de que o lugar é só seu?! Abriu só pra lhe atender?! É isso... Atendimento excelente! Comida deliciosa!! Recomendo muito!!!

Não há carta de vinhos. O vinho é escolhido diretamente na adega do restaurante. Você escolhe, o garçom pega e leva diretamente a sua mesa.


Ceviche de camarão

Risoto de quinoa com camarão

Salmão ao molho e frutos secos

Neste clima romântico, sob um friozinho gostoso, aquecemos o quarto e adormecemos ao som do silêncio. Muito bom!!!

No dia seguinte, acordamos as 8hs, com a temperatura ainda em 5° C, tomamos um belo café da manhã ao som de uma gostosa música brasileira... - pena não me lembrar agora qual era música...



Café da manhã



Aproveitei para tirar algumas fotos do hotel...

Paisagem vista da varanda do nosso quarto

Instalações do Hotel

Piscina do hotel

...e com a ajuda da atenciosa Mabel, que nos forneceu uma cópia de um mapa de um guia antigo, seguimos viagem para Val Paraíso e Viña del Mar.

*O mapa deu super certo!!! Agradeço a querida Mabel que nos estimulou e nos ajudou a cumprir nossa meta! Gracias!! ;-)

Andamos mais de 200km, por estradas não pedagiadas, passando por cidadezinhas com paisagens encantadoras - trechos coloridos de mata e animais, secos e áridos, com penhascos e pontes e diversas vinícolas.

Chegando em San Antonio, fui parada pelos Cabineros do Chile - a polícia local. Pediram minha carteira e perguntaram onde eu estava hospedada em Santiago. Confesso que fiquei um pouco tensa, pois nunca tinha sido parada pela polícia, mas tudo bem! Aproveitei para me certificar de que estávamos no caminho certo para Val Paraíso e eles me orientaram.

Dirigi tanto que estava cansada e com fome, pois já estava quase na hora do almoço. Ao chegar em Val Paraíso, passando pelo porto, comecei a pensar que o caminho para o Cerro Alegre (conhecido ponto turístico) não devia ser aquele. Parei no posto de gasolina para perguntar e o frentista me informou que deveria voltar....
Voltar?! Na mesma hora, perguntei a ele qual era o sentido para Viña del Mar e ele prontamente me respondeu que bastaria seguir direto...

Val Paraíso me pareceu tão confuso e o transito tão intenso que não pensei 2 vezes. Desisti de conhecer Cerro Alegre, pois não queria passar pelo desgaste novamente de me perder.

Chegamos em Viña del Mar cerca de 2 da tarde, exaustos e com fome. Estacionei o carro na praça do relógio de flores onde fica o Casino. Caminhamos um pouco pela orla para esticar as pernas e sentir o clima. Estava um dia lindo, ensolarado e gostoso!

Um pouco da orla de Viña del Mar

Retornarmos ao estacionamento, onde tinha um Mc Donald´s e lá mesmo resolvemos almoçar.

Constatei que estava com pouco dinheiro para os pedágios de volta a Santiago. Tentamos encontrar uma casa de cambio, porém sem sucesso! Então, resolvemos seguir para Santiago rezando que o dinheiro fosse suficiente para chegarmos até lá.
*Sorte que foram apenas 2 pedágios e ainda sobrou dinheiro...ufa!!! E também não nos perdemos...amém!! Seguindo as placas, conseguimos chegar em Santiago e com o mapa da cidade na mão conseguimos chegar na locadora para devolver o carro.

Carro devolvido, caminhada até o hotel. A caminhada nunca foi tão longa, pois estávamos muito cansados.

Chegamos exaustos no hotel!!! Tomei um banho e dormi um pouco.

A noite, fomos a lanchonete Schopdog - foi uma indicação da minha amiga chilena e de um blog de viagens, mas sinceramente não gostei da comida! Passamos em um mercado para comprar lanche para o café da manhã e voltar ao hotel. Estava muito frio!!

No dia seguinte, acordamos cedo e fomos visitar mais um ponto turístico: Cerro San Cristobal.

Cerro San Cristobal
Para apreciar Santiago do alto, o Cerro San Cristobal é um passeio imperdível pois é um dos pontos mais altos da cidade. De cima do local – se a poluição permitir – é possível admirar os edifícios, a geografia de Santiago e os Andes. No parque onde está o cerro San Cristobal funcionam piscinas públicas e um zoológico e a subida até o alto do cerro pode ser feita no funicular, deixando o passeio ainda mais legal. Lá no alto há ainda uma capela e a imagem da Imaculada Conceição, padroeira da cidade.

Lhama enfeitada na entrada do Cerro

Entrada do cerro

Subida até o cerro via funicular

1ª parada: Jardim Zoológico

2ª parada: Topo do cerro e vista de Santiago

Espaço dedicado ao silêncio e oração

Estátua do Papa João Paulo II


Capela

Interior da capela

Após a visita ao Cerro San Cristobal, seguimos para o Mercado Central.



Mercado Central
No mercado encontramos Peixes, frutos do mar, legumes, frutas, verduras, artesanato e restaurantes. O local é muito visitado pelos turistas, principalmente porque comer a centolla, o famoso caranguejo gigante, é um programa bastante tradicional nesse lugar. O preço nos restaurantes não é dos melhores e o ambiente não agrada a todos, mas esse é um ponto turístico clássico de Santiago, principalmente se a ideia é comer peixes e frutos do mar.

Escolhemos comer no famoso restaurante Donde Augusto, mas sinceramente, não gostei! 
A comida estava gordurosa. Experimentei a cerveja chilena Cristal, mas era muito fraquinha.
Valeu a experiência, mas na minha opinião, o mercado é bem pequeno, deixando a desejar e não vale a pena almoçar lá.


Congro frito com fritas

Saindo do mercado, caminhamos até a Plaza de Armas onde fica localizada a Catedral Metropolitana de Santiago.

Plaza de Armas
Coração da cidade. Ao redor da praça ficam alguns dos principais edifícios históricos da cidade, como o edifício dos Correios e a belíssima Catedral Metropolitana.

Catedral Metropolitana
Muito grande e bonita em seu interior.

Interior da Catedral

Teto da Catedral
Voltamos ao hotel para descansar...

A noite decidimos jantar em um novo restaurante. Minha amiga Jocelyn havia indicado um restaurante perto do hotel que possuía o melhor Pisco Sour da cidade.

O restaurante Liguria é super agradável e possui um atendimento maravilhoso!! Escolhemos uma mesa do lado de dentro, pois estava bem frio...



O frio pedia tanto um vinho, que decidimos escolher um belo tinto chileno. Que noite deliciosa!!! A comida maravilhosa!!! Amei! :-)
*P.S: Este restaurante possui várias filiais na cidade, porém recomendo este que se localiza na rua Pedro de Valdivia.



Ossobuco com purê picante

Carne assada com legumes cozidos
Em nosso último dia, levantamos mais tarde e fomos ao shopping Parque Arauco, pois havia combinado de almoçar com minha amiga para nos despedirmos.

Pegamos o metrô e andamos bastante. No mapa não parecia tão distante, porém era longe...nossa!!! Chegando lá, andamos um pouco para conhecer - o piso superior ao ar livre ficam as lojas mais caras (Armani, Michael Kors, Prada, Gucci etc), embaixo lojas locais e ainda tem o interior com lojas de departamentos como a Falabella, Paris, Zara etc.
*Como sempre, não resisti e comprei umas coisinhas na Zara.

Tomamos um café e chocolate quente na deliciosa acompanhadas de uma meia lua simples no Dulce Luna. Que delícia!!! As meias luas são doces e podem ser recheadas se quiserem. Hummmm.... Recomendo!!!



Almoçamos no restaurante Tony Ramas. Este restaurante é do mesmo gênero do Outback. Comemos costela e fritas. 
*O restaurante dá 10% de desconto para brasileiros.

Após o almoço, Jocelyn nos deu uma carona até o shopping Costanera Center. Fomos ao mercado Jumbo para comprar alguns vinhos e guloseimas locais.

Lotados de sacolas e antes de seguirmos para o hotel, mais uma paradinha no Dulce Luna para um café e mais uma meia lua! Ai, ai...bom demais!

Em nosso último jantar, decidi voltar ao restaurante Liguria, pois afinal não tínhamos experimentado o famoso Pisco Sour.



Pisco Sour

Prosciutto de parma
Enfim, fechamos nossa viagem com chave de ouro!! :-)

Agradeço pela hospitalidade da querida Jocelyn. Adorei revê-la e conhecer seu país.

Recomendo uma viagem pelo interior do Chile. Muito bonito, encantador, povo simpático... Surpreende!!

PS.: Não esqueçam de fazer reservas para os tours nas vinícolas. A rota de Colchagua tem muitas vinícolas legais. Vale a pena um bom planejamento e tempo para poder desfrutar desta região.

Boa viagem!!! E até a próxima...